Um dos desafios de ter uma banda com poucos membros ou de realizar um trabalho solo são os vazios, os espaços onde o violão, piano ou teclado não conseguem cobrir plenamente, ficando aquela sensação de vazio.

A escolha do timbre correto do PADs para cada música ajuda a valorizar os acordes e melodias executadas, cobrindo a parte trivial da música e permitindo que o músico explore outras combinações e harmonias.

Não podemos esquecer que o som é emitido de forma contínua usando algumas notas e com poucas variações, o que pode criar harmonias estranhas.

PADs com timbre mais graves, com um preenchimento mais carregado podem ser interessante com instrumentos mais médios e agudos que demandam uma cobertura nos graves. Se abanda possuir contra-baixo pode haver conflito, dando a sensação de som embolado, o que exige do baixista o bom sendo de buscar notas fora das frequências em conflito.

PADs com timbre mais médios demandam cuidado por terem notas soando nas frequências mais utilizadas nas bases dos violões, guitarras e teclados, o que pode potencializar a presença de harmonias não desejadas.

PADs com timbre mais agudos são mais fáceis de trabalhar, ficando em média pouco acima das notas mais tocadas no violão, guitarra e teclado, o que ajuda a diminuir as sobreposições e conflitos de frequências.

Tenha cuidado com o reverb e shimer no violão e guitarra, pois como são usados por vezes para auxiliar na prolongação do som e criar um apoio, eles podem atuar negativamente entrando em conflito com os PADs, recomendo sempre fazer testes e gravar o som para ouvir com mais atenção e ver o comportamento.

Recomendo sempre um cuidado especial em Igrejas ou locais de shows com sistemas de duas vias e poucas caixas, em especial com PADS mais graves, pois estes por soarem em notas mais baixas por longos tempos podem estressar as caixas, sobrecarregando e potencializando a saturação. O efeito que temos nestes casos é a possível perda de qualidade, uma vez que o PADs competirá diretamente com a voz e outros instrumentos, diminuindo a capacidade dinâmica dos alto-falantes.

O PADs deve sempre estar atras das vozes e dos instrumentos, dando sempre preferência as vozes, aos instrumentos rítmicos e harmônicos, evitando como falamos acima que haja uma competição entre as frequências.

PADs são uma benção, mas o excesso de volume somada a sua falta de dinâmica pode causar irritação para algumas pessoas, recomendamos sempre moderação no uso para extrair o melhor deste recurso.

Categories: Blog

0 Comments

Leave a Reply